12 maio, 2017

Top 10 - Livros do gênero: biografia/história/memórias


Oi, gente!!
A  partir de hoje eu vou fazer o Top 10 todas as sextas, sempre mostrando o que leio e também livros que estão na minha lista de leitura, assim passo dicas para quem visita o blog e podem deixar dicas nos comentários.

Hoje eu vou listar 10 livros para quem gosta do gênero história/biografia/memória, eu sempre gostei de assistir documentários e livros desse gênero estão sempre na minha lista de leitura.
Vou deixar a sinopse (retiradas do Skoob) junto com a imagem para vocês saberem de que se trata cada livro.

Sinopse: Neste livro-reportagem fundamental, a premiada jornalista Daniela Arbex resgata do esquecimento um dos capítulos mais macabros da nossa história: a barbárie e a desumanidade praticadas, durante a maior parte do século XX, no maior hospício do Brasil, conhecido por Colônia, situado na cidade mineira de Barbacena. Ao fazê-lo, a autora traz à luz um genocídio cometido, sistematicamente, pelo Estado brasileiro, com a conivência de médicos, funcionários e também da população, pois nenhuma violação dos direitos humanos mais básicos se sustenta por tanto tempo sem a omissão da sociedade.
Pelo menos 60 mil pessoas morreram entre os muros da Colônia. Em sua maioria, haviam sido internadas à força. Cerca de 70% não tinham diagnóstico de doença mental. Eram epiléticos, alcoólatras, homossexuais, prostitutas, gente que se rebelava ou que se tornara incômoda para alguém com mais poder. Eram meninas grávidas violentadas por seus patrões, esposas confinadas para que o marido pudesse morar com a amante, filhas de fazendeiros que perderam a virgindade antes do casamento, homens e mulheres que haviam extraviado seus documentos. Alguns eram apenas tímidos. Pelo menos 33 eram crianças.
Resenha - Holocausto Brasileiro
Essa leitura foi muito triste, lembro que me causou muita raiva em saber o quanto o ser humano é cruel.

Sinopse: Carandiru feminino. A brutal vida das mulheres tratadas como homens nas prisões brasileiras.
Grande reportagem sobre o cotidiano das prisões femininas no Brasil, um tabu neste país, Nana Queiroz alcança o que é esperado do futuro do jornalismo: ao ouvir e dar voz às presas (e às famílias delas), desde os episódios que as levaram à cadeia até o cotidiano no cárcere, a autora costura e ilumina o mais completo e ambicioso panorama da vida de uma presidiária brasileira. Um livro obrigatório à compreensão de que não se pode falar da miséria do sistema carcerário brasileiro sem incorporar e discutir sua porção invisível.
Presos que menstruam, trabalho que inaugura mais um campo de investigação não idealizado sobre a feminilidade, é reportagem que cumpre o que promete desde a pancada do título: os nós da sociedade brasileira não deixarão de existir por simples ocultação – senão apenas com enfrentamento.
Não escrevi a resenha desse livro ainda, mas posso dizer que a leitura faz a gente pensar na situação das mulheres presas, muitas estão lá por tentar ter uma vida melhor e mais incrível, muitas acabam nessa situação por causa do relacionamento com homens que principalmente são traficantes ou por sofrerem agressão e acabam tomando a pior decisão possível. Mas o que mais chama a atenção é a maneira como elas são tratadas dentro dos presídios.

Sinopse: No dia 17 de dezembro de 1961 acontecia, em Niterói, a maior tragédia circense da história e o pior incêndio com vítimas do Brasil. Mais de 3 mil espectadores, a maioria crianças, lotavam a matinê do Gran Circo Norte-Americano, anunciado como o mais famoso da América Latina, quando a trapezista Antonietta Stevanovich deu o alerta de "fogo!". Em menos de dez minutos, as chamas devoraram a lona, justamente no momento em que o principal hospital da região se encontrava fechado por falta de condições. O prefeito da cidade estabeleceu em 503 o número oficial de mortos, mas a contabilidade real nunca será conhecida. Cinquenta anos depois, o jornalista Mauro Ventura reconstitui o episódio em 'O Espetáculo Mais Triste da Terra'. Curto-circuito ou crime? Era a pergunta que todos se faziam. A polícia logo descobriu um suspeito, mas até que ponto ele era o verdadeiro culpado ou o bode expiatório ideal para dar satisfações rápidas à sociedade e encobrir possíveis falhas das autoridades e do dono do circo? Quatro meses depois da renúncia do presidente Jânio Quadros, o país chegava novamente às manchetes internacionais. O papa mandou celebrar uma missa pelas vítimas e enviou um cheque para ajudar no tratamento dos sobreviventes. O impacto da tragédia em Niterói, então capital do estado do Rio de Janeiro, foi tamanho que o assunto permanece encoberto até hoje.
Por envolver crianças essa história é triste demais, mas o que percebi durante a leitura é como o ser humano consegue ser forte em meio a uma tristeza como a que acometeu essa tragédia.

Sinopse: Até a publicação desta obra, acreditávamos que tudo já havia sido dito sobre Pablo Escobar, um
dos piores criminosos da história da América Latina. Mas os muitos relatos disponíveis sobre ele foram contados por alguém de fora, nunca a partir da intimidade do lar. Mais de vinte anos depois da morte do chefe do Cartel de Medellín, Juan Pablo Escobar viaja em direção a um passado que não escolheu a fim de mostrar um lado inédito de seu pai, o homem capaz de chegar aos piores extremos de crueldade, ao mesmo tempo em que professava amor infinito por sua família. Este não é um livro de um filho que busca a redenção para seu pai, mas um relato estremecedor das consequências da violência.
Série - Escobar, El Patrón del Mal
Fazia muito tempo que desejava ler esse livro, Pablo Escobar se tornou uma figura chamativa para mim, depois de assistir uma série colombiana que conta a sua trajetória, fiquei fascinada pela história dele. Sim ele foi um homem muito cruel, mas com relação a sua família ele era completamente o oposto e isso é que me fascina podemos ver os dois lados em uma mesma figura, o extremamente cruel e vingativo e ao mesmo tempo um homem amoroso e capaz de fazer tudo pela esposa e pelos filhos.

Sinopse: Em seu aniversário de quinze anos, Eva é enviada para Auschwitz. Sua sobrevivência depende da sorte, da sua própria determinação e do amor de sua mãe, Fritzi. Quando Auschwitz é extinto, mãe e filha iniciam a longa jornada de volta para casa. Elas procuram desesperadamente pelo pai e pelo irmão de Eva, de quem haviam se separado. A notícia veio alguns meses depois: tragicamente, os dois foram mortos.
Este é um depoimento honesto e doloroso de uma pessoa que sobreviveu ao Holocausto. As lembranças e descrições de Eva são sensíveis e vívidas, e seu relato traz o horror para tão perto quanto poderia estar. Mas também traz a luta de Eva para viver carregando o peso de seu terrível passado, ao mesmo tempo em que inspira e motiva pessoas com sua mensagem de perseverança e de respeito ao próximo – e ainda dá continuidade ao trabalho de seu padrasto Otto, pai de Anne Frank, garantindo que o legado de Anne nunca seja esquecido.
Resenha - Depois de Auschwitz: O emocionante relato de uma jovem que sobreviveu ao holocausto
Um relato emocionante de uma sobrevivente, nesse livro ela conta tudo que aconteceu, como superou a dor de ter visto tantas pessoas morrerem e transformou essa dor em esperança.

Sinopse: "Em abril de 1986, uma explosão na usina nuclear de Tchernóbil, na Ucrânia então parte da finada União Soviética , provocou uma catástrofe sem precedentes: uma quantidade imensa de partículas radioativas foi lançada na atmosfera e a cidade de Pripyat teve que ser imediatamente evacuada. Tão grave quanto o acidente foi a postura dos governantes soviéticos, que expunham trabalhadores, cientistas e soldados à morte durante os reparos na usina. Pessoas comuns, que mantinham a fé no grande império comunista, pereciam após poucos dias de serviço. Por meio das vozes dos envolvidos na tragédia, Svetlana constrói este livro arrebatador, que tem a força das melhores reportagens jornalísticas e a potência dos maiores romances literários. Uma obra-prima do nosso tempo. "
Resenha - Vozes de Tchernóbil
Esse livro está na minha lista de favoritos, mostra relatos de pessoas que sobreviveram, mas vivem a sombra desse maior desastre nuclear que já aconteceu, muitas nem sabiam o que realmente estava acontecendo, foram mantidas no escuro e viram seus familiares sucumbirem a morte muitas vezes de forma muito dolorosa.

Estão na minha lista de leitura:
Sinopse: “Nevando em Bali”, best-seller da escritora australiana Kathryn Bonella, é um livro raro e absorvente, que traz revelações que vão chocar os leitores interessados em jornalismo investigativo e em histórias humanas por trás dos folhetos que prometem paraísos terrestres. Jovens do mundo inteiro, entre eles surfistas sul-americanos como o brasileiro Rafael, enriquecem até o delírio na pequena e linda Bali, cujos moradores são famosos por acolher com gentis e hospitaleiros sorrisos milhões de turistas. No estilo de vida criado por esses novos playboys, o tráfico de cocaína desempenha papel fundamental. E eles poderão acabar na prisão de Kerobokan, verdadeiro inferno, ou fugir. Mas pagarão alto preço pela vida de luxo. Construído à base de relatos verdadeiros, de primeira mão, sobre esses traficantes, o livro lança a pergunta: quem será o próximo a acabar em kerobokan? Um livro indispensável.
Sinopse: O livro 'Estação Carandiru' é resultado da experiência do próprio autor no lugar que foi o maior presídio do Brasil. A convivência com os presidiários e funcionários do presídio teve início quando foi desenvolvido o seu trabalho voluntário de prevenção à AIDS. Esta convivência proporcionou o conteúdo do livro, onde o autor descreve desde a divisão física da Casa de Detenção, os pavilhões, até a sociedade carcerária e relatos de detentos e funcionários.
Sinopse: A história das guerras costuma ser contada sob o ponto de vista masculino: soldados e generais, algozes e libertadores. Trata-se, porém, de um equívoco e de uma injustiça. Se em muitos conflitos as mulheres ficaram na retaguarda, em outros estiveram na linha de frente.
É esse capítulo de bravura feminina que Svetlana Aleksiévitch reconstrói neste livro absolutamente apaixonante e forte. Quase um milhão de mulheres lutaram no Exército Vermelho durante a Segunda Guerra Mundial, mas a sua história nunca foi contada. Svetlana Alexiévitch deixa que as vozes dessas mulheres ressoem de forma angustiante e arrebatadora, em memórias que evocam frio, fome, violência sexual e a sombra onipresente da morte.
Sinopse: Quase quarenta anos depois da publicação de sua primeira edição, O que é isso, companheiro?, que foi adaptado por Bruno Barreto para o cinema em 1997, continua sendo um dos mais contundentes documentos históricos já produzidos acerca do período militar. "Este é o livro de um homem correndo da polícia, tentando compreender como é que se meteu, de repente, no meio da Irarrazabal, no Chile, se apenas cinco anos antes estava correndo da Ouvidor para a Rio Branco, num dos grupos que fariam mais uma demonstração contra a ditadura militar que tomara o poder em 1964. Onde é mesmo que estávamos quando tudo começou?" - Fernando Gabeira
Publicado pela primeira vez em 1979, O que é isso, companheiro? conquistou um lugar de destaque na categoria dos livros que melhor retratam um dos períodos mais obscuros da história brasileira: a ditadura militar. Documento histórico - esta seria a melhor maneira de categorizar a narrativa que Fernando Gabeira empreende para nos contar, em primeira pessoa, como jovens guerrilheiros, em 1969, conseguiram realizar a mais espetacular proeza de um grupo de esquerda: o sequestro do embaixador americano. O então jornalista recém-saído do Jornal do Brasil e seus companheiros de organização "trocaram" a vida do embaixador pela libertação de 15 presos políticos.
Heróis? Vilões? Loucos? Inconsequentes? A vitalidade deste livro, sua permanência e sua importância residem no fato de que seu autor nunca esteve alheio às contradições de sua geração. Nas páginas deste contundente, emocionante e, por vezes, irônico relato, somos confrontados com nossos próprios fantasmas. Será que somos tão diferentes assim do que foi Fernando Gabeira? Aos 75 anos, ele segue sua jornada, contando e refletindo sobre a história do nosso país. A coragem de admitir que precisamos nos reinventar a cada dia na construção de um mundo melhor e mais democrático continua sendo uma de suas qualidades mais marcantes. Aos que resistem a isso, cabe-nos apenas perguntar: O que é isso, companheiro?

Quais vocês já leram, o que sentiram enquanto liam? Quais vocês gostariam de ler?
Podem deixar dicas nos comentários.

9 comentários

  1. Oi Lizi
    Eu não sou muito de ler biografias ou histórias reais, mas já li algumas. Prisioneiros que menstruam me chamou bastante atenção. Até o nome dele é impactante.

    Vidas em Preto e Branco

    ResponderExcluir
  2. Eu adoro o gênero, mas infelizmente só li um dessa lista, porém, anotei todos para ler quando puder.

    Li o Cova 312 da Daniela Arbex e me apaixonei por sua escrita, estou doida pra ler o Holocausto Brasileiro.

    Bjkssssss

    ResponderExcluir
  3. achei todos bem interessantes pois mostram um lado verídico da literatura, trazem o conhecimento para questões delicadas
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Olá, fiquei encantada com as obras selecionadas nesse post, adorei suas dicas, creio que todos serão leituras fortes de marco histórico isso sem dúvida, parabéns pelo blog, estou adorando acompanhar seu trabalho!

    ResponderExcluir
  5. Carandiru é um livro que quero ler, Presos que Menstruam e O Holocausto Brasileiro também chamam a minha atenção. Não é um gênero que leio muito, mas gosto de entender um pouco mais a história.
    Beijos
    Mari
    www.pequenosretalhos.com

    ResponderExcluir
  6. Oiii Lizi tudo bem?
    Gostei muito do top que fizeste, não pensaria duas vezes a não ser querer ler aquele do holocausto, são muitas variedades e que de certa maneira me agradou, como os presos que menstruam.
    Beijinhos

    ResponderExcluir
  7. Hey, Liziane!

    Eu amo esse gênero e sempre que posso estou com algum livro do tipo.
    Holocausto Brasileiro eu tenho, mas ainda não li. E Carandiru eu já li duas vezes e amei! Inclusive, acho que já está na hora de eu reler.
    Quanto aos demais livros que você mencionou, eu não os conhecia, mas já anotei o nome de todos, porque fiquei muito interessada e agora estou bem curiosa pra conhecer essas histórias.
    Amei as suas dicas!

    Beijos!

    ResponderExcluir
  8. Olá! Ótimas indicações! Com certeza, vale muito a pena ler e compartilhar. Alguns livros da lista eu já li e amei. super bjooooo

    ResponderExcluir
  9. Infelizmente esses são um gênero que eu não gosto. Pelos livros que você, vemos que o conteúdo é bem pesado, e por isso não gosto muito. Mas anotei algumas nomes, pois como leitor acho válido ler todos os gêneros. Beijos do Wes ^^

    ResponderExcluir

Olá!!!
Obrigada pela visita.
Sua opinião é muito importante para mim.
Deixe o link do seu blog ou site para eu retribuir a visita.
Beijos Lizi